Postado By origemsurf em mar 18, 2020 |

Quarentena não é férias. Então, partindo deste princípio e se você está ilhado em alguma selva de pedras, distante do mar, esse post é pra você. 

por Janaína Pedroso

Se por um lado não há registros de contaminação pelo coronavírus enquanto se está surfando, por outro a recomendação é evitar aglomerações. E já que parte das praias do nosso litoral fica infestada de gente, passar o dia em uma delas parece uma péssima ideia. A não ser que você esteja querendo testar os limites da sua saúde e a de seus familiares, como o presidente do Brasil.

Relendo parte do meu acervo de livros sobre surfe. Foto arquivo pessoal.

Se você vive no litoral, provavelmente vai acabar surfando, mas lembre-se de evitar o crowd e aglomerações na praia. Não vá agir como se fosse um final de semana eterno, com o cooler cheio de breja e os brother’s todos amontoados no guarda-sol. 

Por incrível que pareça, as cidades litorâneas, como Ubatuba por exemplo, têm recebido turistas desde o anúncio da necessidade de isolamento! Realmente, o brasileiro é um caso a ser estudado!

Ainda não há registros de surfistas contaminados no outside, mas de novo, se optar por ir surfar (tipo: vou num pé e volto no outro), todo cuidado é pouco, afinal uma pessoa contaminada pode transmitir a doença em um raio de até dois metros.

Seja [email protected]

Pois bem, partindo do princípio de que enfrentaremos um bom período reclusos, no aconchego dos nossos lares, a dica é se abastecer de coisas boas! 

E não falo de guloseimas! Aliás, não faça como eu que andei pensando em estocar comida! Ando com uma fome ridícula desde que engravidei, e para o meu desespero já engordei 10 quilos! Detalhe: estou no início do sexto mês de gestação!

Assim, o estoque a que me refiro é mais subjetivo. Preencha a mente com pensamentos otimistas, procure ler coisas leves e positivas. Porém, não deixe de acompanhar as notícias! 

O equilíbrio, como sempre, é a chave para manter nossa sanidade mental neste momento de tantas incertezas.

Bom, já “falei” demais, vamos logo às dicas!

  1. Começando pelas biografias: o maior astro do surfe nacional teve sua história contada por Tulio Brandão em “Gabriel Medina: a trajetória do primeiro campeão de surfe do Brasil” (Primeira Pessoa), que traz prefácio de Kelly Slater e foi fonte de pesquisa para a construção do roteiro de documentário lançado recentemente.
  2. “Como se tornar um campeão” (Intrínseca), da jornalista Márcia Vieira, a obra conta a vida de Adriano de Souza, a começar pela infância pobre e conflitos familiares até a batalha pelo título mundial. A leitura é leve, fácil e muito envolvente! Se você procura inspiração com histórias de superação, este é seu livro!
  3. Apesar de desatualizada,

 » Read More

close

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login