in ,

Há 40 anos, morreu Jesse Owens, que desafiou nazismo e racismo

Há 40 anos, o mundo e o esporte perdiam Jesse Owens. Então com 66 anos, James Cleveland Owens, seu nome de batismo, que desafiou o nazismo alemão e o racismo americano e se tornou o primeiro atleta a ganhar quatro ouros numa Olimpíada, foi vencido por uma infecção pulmonar e um câncer.

Filho de pobre agricultor negro, um dos mais novos entre dez irmãos, e neto de escravos, Owens nasceu no Alabama, em Danville (EUA), em 12 de setembro de 1913, e se mudou para Cleveland, no Ohio.

Da dura rotina nos campos de algodão Owens começou a construir a fama de homem mais veloz do mundo em Michigan, num torneio universitário em 1935, quando, em 25 de maio, em 45 minutos, quebrou quatro recordes mundiais: 100 jardas (91,44 m), com 9s4, salto em distância, com 8,13 m (marca que só foi superada em 1960), 220 jardas com obstáculos, com 22s6, e revezamento de 4×100 m.

Mas a fama mundial veio quando o americano se notabilizou por frustrar os planos de Adolf Hitler na Olimpíada de Berlim, em 1936.

Diante de 110 mil pessoas, Owens conquistou quatro medalhas de ouro, todas com recordes mundiais, nos 100 m, com 10s3, nos 200 m, com 20s7, no salto em distância, com 8,06 m, e no revezamento 4×100 m, com 39s8.

À parte qualquer polêmica com Hitler, o qual Owens afirmou que correspondeu ao aceno seu durante a comemoração de uma das provas que venceu, o mais destacado atleta daquela edição olímpica sobrepujou o nazismo e as teorias de superioridade ariana, mas não conseguiu o reconhecimento do governo dos EUA.

Ele sempre evitou críticas à Alemanha, uma vez que foi lá, na Olimpíada, em que pôde dividir, pela primeira vez na carreira, quartos com atletas brancos e viu um estádio com maioria branca aplaudi-lo.
Uma mostra de que nos EUA o governo ainda mantinha atitudes racistas foi o fato que o presidente à época, Franklin Delano Roosevelt, não parabenizou Jesse Owens nem reconheceu publicamente seus feitos.

Owens foi tão brilhante que o último de seus recordes só foi batido em 1975 — antes, porém, vira e aplaudira, em 1972, Mark Spitz l

 » Read More

Report

What do you think?

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Loading…

0

Troubleshooting and Exam Prep for Cisco 500-325

Dealing with Pregnancy Food Cravings: A Guide (voticle.com)