in ,

Herói improvável há 20 anos, nadador Eric Moussambani virou referência

A fala suave de Eric Moussambani, 42, parece a de um garoto de 22 anos, a idade que ele tinha quando colocou seu nome na história das Olimpíadas, há duas décadas.

“Ainda hoje, quando viajo para torneios percebo que nadadores de países africanos me veem como uma referência. Tenho orgulho disso, mas é uma responsabilidade”, afirma ele em entrevista à Folha.

Moussambani tem recebido pedidos de entrevistas nos últimos meses por causa dos 20 anos de sua participação na Olimpíada de Sydney, em 2000, marca que será completada em setembro.

Os Jogos Olímpicos jamais tinham visto uma cena como aquela. Um nadador sozinho na piscina, diante de uma arquibancada lotada, com tanta dificuldade para completar a prova que passava a impressão de não saber nadar.

Sob os gritos de incentivo de milhares de espectadores no Centro Aquático Internacional, em Homebrush Bay, Sydney, Eric Moussambani conseguiu dar a batida final. Seu tempo de 1min52 nos 100 metros livre foi mais de 1 minuto acima do holandês Pieter van den Hoogenband, que ganhou a medalha de ouro e bateu o recorde mundial na ocasião, com 47,84 segundos.

A imagem da sua dificuldade para nadar os 100 metros se tornou icônica. E o tornou celebridade. “Sei que pareceu que eu não sabia nadar. Mas não era aquilo, claro. Ter nadado sozinho me deixou muito nervoso. Fiquei com medo de envergonhar a minha família e o meu país. Os 50 metros finais foram bem difíceis.”

Ele era o primeiro atleta da história da natação da Guiné Equatorial, país da África ocidental com 1,2 milhão de habitantes e sem nenhuma piscina de tamanho olímpico na época, a chegar à Olimpíada. Foi convidado a participar por causa da política do COI (Comitê Olímpico Internacional) de oferecer vagas para países sem tradição no esporte. Ele jamais havia tomado parte em qualquer torneio.

Moussambani nadaria a prova qualificatória contra o nigeriano Karin Bare e Farkhod Oripov, do Tajiquistão. Quando os dois foram eliminados por queimarem a largada, o inexperiente atleta da Guiné Equatorial ficou só.

“Quando revejo a prova, creio que nadei muito bem os primeiros 50 metros. Acho que nunca tinha nadado tão bem. Mas na virada, comecei a sentir cãibras fortes. Não conseguia me movimentar direito e pensei em desistir. Eu dava uma braçada atrás da outra, mas a sensação que tinha é de não sair do lugar”, relembra.

O que poderia ser visto como fiasco o tornou famoso. Ele recebeu dezenas de pedidos de entrevistas. Equipes de TV da Europa foram a Malabo, capitão da Guiné Equatorial, mostrar como era a vida e os treinos do último colocado dos 100 metros em Sydney que tinha virado exemplo de superação no esporte.

“Fiquei em último, mas foi o dia em que minha vida mudou”, afirma, sobre aquele 19 de setembro.

 » Read More

Report

What do you think?

Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Loading…

0

𝟏𝟖𝟎𝟎-𝟓2𝟑-2177 CANON Printer Tech Support Phone Number Toll Free USA+CANADA.

bella-hadid-celebrates-summer-in-a-tiny-bikini-&-4-more-of-her-&-sister-gigi’s-bikini-snaps-—-pics

Bella Hadid Celebrates Summer In A Tiny Bikini & 4 More Of Her & Sister Gigi’s Bikini Snaps — Pics