Depois de quase 30 anos sem aparecer no calendário, a Supercopa do Brasil voltou ao cenário do futebol brasileiro. Neste domingo (16), Flamengo e Athletico-PR decidem o título em jogo único, às 11h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

A competição que põe frente a frente o campeão do Brasileiro e o da Copa do Brasil foi resgatada pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol), que busca dar ares de grandiosidade ao evento principalmente por meio da premiação atraente para o torneio de uma partida só (R$ 5 milhões para o vencedor e R$ 2 milhões para o vice).

O valor do prêmio e a oportunidade de levantar uma taça logo no início da temporada motivam athleticanos e flamenguistas a entrarem com força máxima para o confronto.

No princípio, o evento foi concebido para abrir a temporada no dia 16 de janeiro deste ano, ainda antes do início dos estaduais. Não havia sido considerada pela confederação, porém, a ida do Flamengo ao Mundial de Clubes, disputado até 21 de dezembro. O respeito ao período de férias do time rubro-negro forçou o adiamento da competição.

“A Supercopa é uma aposta da CBF. Em termos de portfólio de competições, era o que faltava”, diz à Folha o diretor de competições da confederação, Manoel Flores. “O jogo único foi uma escolha técnica, dá um caráter neutro à disputa e para o calendário é mais viável. Comercialmente também é mais interessante.”

A ideia da CBF é rodar as sedes pelo Brasil nas próximas edições. Para o duelo em Brasília, 40 mil ingressos foram vendidos até esta sexta-feira (14), dos 71 mil disponibilizados para venda.

O Flamengo jogou três vezes no Mané Garrincha pelo Brasileiro do ano passado (Vasco, CSA e Avaí), com média de 50.200 torcedores por partida. No clássico com os vascaínos, que recebeu 65.418 pagantes, o ingresso mais barato era o da arquibancada superior, a R$ 65 (meia-entrada).

A mesma arquibancada é vendida a R$ 100 (meia) para a Supercopa, que tem ingressos de até R$ 600 para camarotes. Um desses camarotes, inclusive, receberá um pocket show da dupla sertaneja Maiara e Maraísa e custará R$ 500, sem opção de meia-entrada.

A Supercopa terá transmissão da Globo e do SporTV. A geração de imagens, porém, será da própria CBF, com 17 câmeras no Mané Garrincha. O Canal 11, de Portugal, também adquiriu os direitos para o país.

A tentativa de fazer com que a Supercopa enfim tenha sucesso no Brasil contrasta o fracasso das duas únicas edições do torneio realizadas até hoje.

A primeiras delas, em 1990, correu o risco de não acontecer em razão da falta de datas livres para o evento. Inicialmente, o duelo entre Vasco (campeão brasileiro de 1989) e Grêmio (campeão da Copa do Brasil de 1989) estava previsto para o mês de janeiro.

“Só sabemos que não será mais possível jogar com o Vasco no dia 28 deste mês [janeiro].

 » Read More

No Comments
Comments to: Contra histórico de fracassos, CBF tenta emplacar nova Supercopa

Trending Stories

Scope of Fashion Industry Fashion has consistently been recognised to push the limits. With new ideas and trends, fashion has a focus on the future. The fashion industry will see enormous innovation in the upcoming years as modern technology, and changing customer demands and trends will transform the industry. With such stimulation and competition, the […]

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login