A última lembrança que o são-paulino tem do uruguaio Gonzalo Carneiro, 24, provavelmente é a cobrança de pênalti com cavadinha diante do Palmeiras, no jogo de volta da semifinal do Campeonato Paulista de 2019, gol que ajudou a equipe tricolor a garantir a classificação à decisão do Estadual.

O meia-atacante disputaria apenas mais 45 minutos pelo clube do Morumbi, na final contra o Corinthians, antes de ser suspenso preventivamente em abril por uso de cocaína.

Em outubro do ano passado, ele foi julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD) e recebeu a suspensão de 24 meses de afastamento do futebol. A pena, válida até 15 de março de 2021, foi o gatilho para agravar um quadro de depressão que o atleta vinha enfrentando.

Desde que chegou ao clube do Morumbi, em abril de 2018, o jogador teve dificuldade para se adaptar à vida em São Paulo. Logo no início, precisou tratar uma lesão no púbis que o manteve fora de ação de novembro de 2017 (ainda atuando pelo Defensor-URU) a julho de 2018, quando enfim estreou com a camisa tricolor.

Para o início da temporada 2019, ele não se apresentou Ã s vésperas da estreia do time no Campeonato Paulista, contra o Mirassol, e terminou multado pela diretoria.

Antes mesmo de ser flagrado no antidoping após derrota para o Palmeiras, no Pacaembu, ainda pela primeira fase do Estadual, o uruguaio já se consultava com uma psicóloga.

A falta de sequência –24 jogos, a maioria saindo do banco de reservas, e somente um gol marcado– aliada à solidão na capital paulista contribuíram para o abatimento do atleta, que ficou, segundo pessoas próximas, desiludido com a sentença de dois anos.

Família, São Paulo, seus advogados e representante tomaram a decisão consensual pela internação do meia-atacante em uma clínica de reabilitação. Além do benefício próprio do tratamento com especialistas, a iniciativa poderia ser positiva também para a defesa do atleta, que tem julgamento no pleno do TJD-AD marcado para este mês.

Nos meses de novembro e dezembro, Carneiro ficou cerca de 45 dias em uma clínica de Porto Alegre que trabalha há 30 anos no tratamento de dependentes químicos.

O uruguaio recebeu alta em 30 de dezembro do ano passado. Na manhã do dia 31, já estava em Montevidéu, onde passou o Ano Novo com a família antes de retomar, em 2 de janeiro, os treinos físicos para tentar manter a forma.

Carneiro não recebe salários do São Paulo desde a suspensão preventiva por doping, em abril de 2019–seu vínculo vai até 31 de março de 2021. O uruguaio também não pode treinar nas dependências do clube tricolor, nem mesmo frequentá-las.

A legislação antidoping proíbe que ele mantenha a forma em associações desportivas (como clubes ou federações) e só permite o retorno a elas no último quarto do seu tempo de suspensão.

De acordo com pessoas do convívio íntimo do atleta,

 » Read More

No Comments
Comments to: Suspenso por doping, são-paulino treina em sindicato após internação

Trending Stories

Scope of Fashion Industry Fashion has consistently been recognised to push the limits. With new ideas and trends, fashion has a focus on the future. The fashion industry will see enormous innovation in the upcoming years as modern technology, and changing customer demands and trends will transform the industry. With such stimulation and competition, the […]

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login