Chris Waddle, 59, nasceu em Felling, uma cidade de 9.000 habitantes a 6 km do St.James Park, estádio do Newcastle United, o time da sua vida.

Um dos maiores jogadores do clube nos últimos 40 anos, o meia-atacante atuou também pelo Olympique de Marselha, na época em que a equipe francesa era a mais rica da Europa, e disputou a Copa do Mundo de 1990.

Hoje aposentado, ele voltou a ser o que sempre foi: mais um torcedor do Newcastle. E como vários outros, tem sentimentos ambíguos com a possível venda do clube para o Fund Investiment Public, fundo que pertence à família real da Arábia Saudita e tem patrimônio estimado em US$ 320 bilhões (R$ 1,66 trilhão).

“Eu deveria estar radiante e, de certa forma, estou. Os torcedores há muito tempo querem se livrar de Mike Ashley, e agora apareceu um novo dono que tem muito dinheiro para investir no time, o que todos desejam. Mas há uma questão moral”, admite Waddle.

Ashley é o proprietário da Sports Direct (entre outras empresas), uma das maiores redes de lojas de roupas esportivas do Reino Unido. Ele comprou o Newcastle há 13 anos e tenta vendê-lo há 12, frustrando torcedores por não demonstrar interesse nos resultados em campo, desde que o clube desse lucro.

“Eu jamais vou dizer para um torcedor do Newcastle parar de apoiar o time por causa dos sauditas. É desconfortável, mas falamos de um time que eu amo desde criança. Seria muito difícil me desligar disso”, diz Normal Riley, editor do fanzine True Faith, dedicado à equipe.

A questão que divide os fãs é o regime autoritário da Arábia Saudita, país em que a monarquia que o comanda é acusada de contínuo desrespeito aos direitos humanos.

O príncipe Mohammed bin Salman, da Arábia Saudita, é acusado de ser o mandante da morte do jornalista Jamal Khashoggi, crítico do regime, assassinado na embaixada do país em Istambul, na Turquia. Ele depois foi esquartejado. Salman, conhecido pela sigla MBS, nega relação com o crime.

A Anistia Internacional do Reino Unido denunciou a proposta de compra do Newcastle por R$ 1,6 bilhão como tentativa de melhorar a imagem na nação árabe por meio do futebol.

Em carta aos dirigentes da liga inglesa, Kate Allen, diretora da entidade, disse que “a Premier League se colocou em risco de se transformar em boneco de quem quer usar o prestígio e glamour da liga para acobertar ações que são profundamente imorais, que desrespeitam a lei internacional e são estranhas aos valores da Premier League e da comunidade global do futebol.”

Pesquisa realizada pelo jornal Newcastle Chronicle teve 80% de torcedores favoráveis à compra, que ainda precisa de aval dos dirigentes do campeonato.

Um grupo de moradores locais escreveu ao diário para dizer

 » Read More

No Comments
Comments to: Venda para sauditas divide sentimentos da torcida do Newcastle

Trending Stories

Scope of Fashion Industry Fashion has consistently been recognised to push the limits. With new ideas and trends, fashion has a focus on the future. The fashion industry will see enormous innovation in the upcoming years as modern technology, and changing customer demands and trends will transform the industry. With such stimulation and competition, the […]
close

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login