Na onda das reprises em meio à pandemia de coronavírus, a Globo exibe neste domingo (26), às 16h, o confronto entre Brasil e Itália, válido pela final da Copa do Mundo de 1994, nos EUA. O jogo marcou o tetracampeonato mundial e o fim de um tabu de 24 anos sem a maior conquista do futebol pela seleção brasileira.

A equipe comandada pelo técnico Carlos Alberto Parreira apresentava um futebol burocrático desde antes do início do torneio, mas tinha na dupla Bebeto e Romário, no goleiro Taffarel e na liderança do capitão Dunga os pilares para chegar na disputa da tão sonhada taça.

Do outro lado do campo, a também tricampeã Itália —hoje tetra— tinha suas virtudes. Uma defesa e um meio de campo fortes.

Entre vários grandes nomes daquela equipe se destacavam o zagueiro Franco Baresi, considerado um dos maiores defensores de todos os tempos, e o camisa 10 da equipe, Roberto Baggio. Ambos, para azar dos italianos, desperdiçaram suas cobranças de pênaltis, o que culminou no título brasileiro.

Para refrescar a memória daqueles que assistiram ao jogo em 1994 e para apresentar àqueles que não tiveram a oportunidade de ver a conquista do tetra, confira quem eram os jogadores que formaram as duas seleções finalistas daquela Copa.

Equipe brasileira

Taffarel, 53

Goleiro do Brasil nas Copas de 1990, 1994 e 1998, viveu seu grande momento no Mundial dos Estados Unidos, após uma temporada na qual chamou a atenção no pequeno Reggiana, da Itália. Teve participação fundamental na conquista, com defesas importantes na final —uma delas na disputa por pênaltis. Hoje, é preparador dos goleiros da seleção.

Gilmar, 61

Reserva de Taffarel em 1994, acabou não entrando em campo nos Estados Unidos. Teve uma carreira robusta defendendo Internacional, São Paulo, Flamengo e Cerezo Osaka antes de se tornar empresário de jogadores. Chegou também a trabalhar como coordenador da seleção brasileira, entre 2014 e 2016.

Zetti, 55

Terceiro goleiro na campanha do tetra, não jogou durante o Mundial. Foi titular do Palmeiras em 1987, mas ganhou destaque mesmo vestindo a camisa do rival São Paulo, clube pelo qual conquistou duas Libertadores e dois Mundiais.

Cafu, 49

Lembrado especialmente como capitão do penta, também atuou no tetra, como reserva de Jorginho, entrando em três partidas. Uma delas foi a final, na qual o titular teve um problema físico e saiu logo aos 21 minutos do primeiro tempo. O lateral direito quase participou do gol do título, dando passe desperdiçado por Bebeto, sem goleiro. Depois, jogou mais três edições da Copa.

Jorginho, 55

Titular do Brasil em 1990 e 1994, teve participação importante na conquista nos Estados Unidos. A dura vitória por 1 a 0 sobre a Suécia, na semifinal, foi definida em um cruzamento preciso do lateral direito para Romário. Voltou à seleção como auxiliar técnico de Dunga e hoje trabalha como treinador.

 » Read More

close

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login