Quando o Bayern de Munique venceu pela última vez a Champions League, Arjen Rooben era o seu jogador mais importante. O atacante das arrancadas da lateral para o meio fez o gol da vitória por 2 a 1 naquela final contra o Borussia Dortmund realizada em 2013, no estádio de Wembley.

Nesta quarta (19), o nome de Robben foi uma das tendências de citações no Twitter. Isso começou quando Serge Gnabry, 25, fez a jogada que era marca registrada do holandês, acertou chute no ângulo e foi decisivo para fazer o time chegar pela primeira vez depois de sete anos à final do torneio europeu.

Foi a tarde em que o Bayern ficou mais próximo de se reencontrar com glórias do passado.

A goleada por 3 a 0 sobre o Lyon (FRA) em Lisboa colocou os alemães na decisão contra o Paris Saint-Germain (FRA). A partida será domingo (23), às 16h (de Brasília), no Estádio da Luz, na capital portuguesa. O segundo gol também foi marcado por Gnabry, e Lewandowski fechou o placar.

Até deixar o Bayern, em 2019, em uma aposentadoria cancelada um ano depois, Robben tentou fazer a equipe voltar a ser a principal da Europa. Mas se o clube bávaro domina a Bundesliga, com oito títulos consecutivos, não conseguiu repetir o desempenho no continente. A semifinal se tornou seu maior pesadelo.

Entre a glória em Wembley e a vitória sobre o Lyon em Lisboa, foram cinco semifinais perdidas em seis Champions disputadas.

No período, o time apelou para técnicos considerados revolucionários (Pep Guardiola), vencedores pragmáticos (Carlo Ancelotti) e fez apostas (Niko Kovac).

Conseguiu voltar à final com Hans-Dieter Flick, 55, um meia de carreira discreta que fazia parte do elenco do Bayern na derrota para o Porto, em 1987, na final da então Copa da Europa, como era conhecida a Champions League. Ele foi colocado no cargo como solução emergencial e ganhou renovação de contrato por três anos.

Flick conseguiu unir o elenco, que não estava na liderança da liga alemã em novembro de 2019, quando assumiu. Deu-lhe um padrão de jogo e, tão importante quanto isso, voltou a colocar Thomas Muller como parte central do time. Com Kovac, o atacante havia se tornado peça tão periférica que o treinador disse publicamente que só o usaria como último recurso.

Um dos maiores nomes da história do clube, Muller foi revelado pelo Bayern, nunca atuou por outra agremiação e é um dos três remanescentes dos titulares que estavam na decisão de 2013, ao lado do goleiro Neuer e do lateral e zagueiro Alaba.

Um possível título valeria como a introdução do nome de Flick entre os principais técnicos do planeta. Como auxiliar, ele estava na comissão da seleção alemã campeã mundial no Bras

 » Read More

No Comments
Comments to: Bayern quebra jejum e chega dominante à final da Champions contra PSG

Trending Stories

Scope of Fashion Industry Fashion has consistently been recognised to push the limits. With new ideas and trends, fashion has a focus on the future. The fashion industry will see enormous innovation in the upcoming years as modern technology, and changing customer demands and trends will transform the industry. With such stimulation and competition, the […]
close

Log In

Or with username:

Forgot password?

Don't have an account? Register

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.

Login